terça-feira, 24 de janeiro de 2017

duarte gomes

Não sei até que ponto será verdade, até porque a comunicação social é de uma pobreza franciscana no que diz respeito a isenção, pluralidade e verdade, mas a a fiquei ainda mais "cutchi-cutchi" pelo "Duartinho".


Créditos: João Cabral


"Duarte Gomes tinha 14 anos quando foi ‘obrigado’ a fazer uma escolha que mais tarde se revelou de enorme importância para a vida que abraçou enquanto ator. Desmotivado com a escola e com o progama normal de ensino, Duarte partilhou as suas angústias com a mãe, com quem costumava ir ao teatro, ou assistir a espetáculos de dança. Juntos procuraram uma alternativa e encontraram o Chapitô. “Foi uma escola muito importante e foi aí que percebi que era este o caminho. Senti-me motivado, o meu coração disparou como já não fazia há muito tempo”, confessa nesta entrevista à Lux, onde partilhou a sua paixão pela profissão, pelos cinco sobrinhos e ainda a infância passada num bairro social, que lhe deu uma perspetiva diferente da vida. “Não tinha uma vida de luxos mas não passei qualquer dificuldade ou privação. Tinha uma vida normalíssima, mas efetivamente convivia com outras realidades”, recorda. Reservado, não se abre sobre a sua vida amorosa, mas admite “estar feliz”. 

Créditos: Revista Lux 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Podem comentar, que eu deixo. Vale tudo, menos ofender. Ok? E estar vivo é o contrário de estar morto - Lili Forever.