terça-feira, 17 de outubro de 2017

incêndios em portugal

Ponderei se haveria de escrever sobre os incêndios de 2017 em Portugal ou não. Pensei se valia a pena estar a dar uma opinião sobre um assunto que todos têm uma opinião e são especialistas, e que todos são donos da razão. Matutei, hesitei, e concluí que devia apenas escrever alguns tópicos sobre o assunto, considerando o pouco que sei sobre Protecção Civil, e o pouco que se sabe sobre a tragédia, contada pelos escassos jornalistas fidedignos que temos. 

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

santa despistagem


Créditos: Henrique Monteiro

mais parvoíces

Ainda de manhã, digo na sala: 

Eu: Olhem vocês sabem aquela anedota que num velório...

Colega da frente-esquerdo: Isto hoje está bonito, está. É para continuar?

Eu: Não posso? É demasiado?

Colega da frente-esquerdo: Eu acho que hoje estás sem travões. Mas vá, continua lá.

Eu: Houve um viciado em Internet no telemóvel que foi a um velório e perguntou à pessoa que estava ao lado: "Por acaso não sabe qual é a password do wifi?". A pessoa indignada respondeu: "Pouco barulho que está num velório! Tenha respeito!" E o viciado em Internet no telemóvel, mexe no dito e passados uns minutos responde: "Desculpe, mas essa não é password correcta". 

Colega da frente-esquerdo: Não tens mesmo nada para fazer, pois não?

parvoíces

Sobre a notícia de subornos e de assédio sexual da semana passada, digo na sala:

Eu: Realmente devo ter um problema enorme no zingarelho…

Colega da frente-esquerdo: Porque é que dizes isso?

Eu: Porque aqui no trabalho, nunca ninguém me tentou subornar, nem nunca ninguém me assediou. 

Colega da frente-esquerdo: Já reparaste que só dizes porcaria? Só sabes gozar com assuntos sérios.

Eu: Mas estou triste.

Colega da frente-esquerdo: Anda cá fazer-me o trabalho que eu dou-te uma bolacha, e na volta ainda te apalpo esses peitos.

Eu: Obrigado por me valorizares.


Tenho as melhores colegas do mundo <3


Nota Editorial: Apenas brinquei com coisas sérias, como faço muitas vezes na minha vida. Que fique claro (não vá alguém pensar o contrário) que não sou a favor de nenhum tipo de suborno (e se ficar provado que Sócrates cometeu aqueles crimes, obviamente que terá de ser condenado exemplarmente), e sou absolutamente contra qualquer tipo de assédio sexual no trabalho (e condeno o comportamento de Harvey Weinstein por ter humilhado aquelas mulheres, a quem terá exigido favores sexuais em troca de uma carreira. É um pulha – para não escrever pior).

nunca digas nunca

Se este ano tem uma frase feita, ela será "nunca digas nunca". Não sei. Talvez a idade, ou os eventos  que a vida nos proporciona nos transformem, sendo que isso muitas vezes não implica que seja para melhor. Damos por nós a pensar, que há 10 anos atrás, jamais teríamos este comportamento e juraríamos a pé juntos que nunca faríamos isto ou aquilo. É incrível como a nossa maneira de ver o mundo, e a nossa inflexibilidade perante os outros, vai mudando com a nossa idade. Com as experiências que vamos vivendo e com as pessoas que vamos conhecendo. Hoje sou, sem sombra de dúvidas, responsável pelas minhas escolhas, e principalmente de todos os "nuncas" que proferi. 
E nesta semana que hoje começa, tenho que tomar uma decisão que poderá mudar o meu percurso profissional, mas se o fizer, já sei que vou sentir que vendi a minha alma ao diabo, mas se não o fizer... já sei que me vou arrepender disso no resto dos meus dias terrenos.

Créditos: Namoro com um Pop Star + Spreadshirt

domingo, 15 de outubro de 2017

mickey

Adoro Mickey's!

Créditos: Apanhado no Pinterest


Vá, por hoje já chega! Até amanhã!

laura

Conheço a Laura de "vista" há 10 anos. Era um tipo de pessoa que não me aquecia, nem arrefecia. Era-me totalmente indiferente, e quase que roçava o "não gostar" da pessoa em causa. Nos últimos meses começámos a falar mais,  interagir mais, porque tínhamos projectos em comum, e a percepção que tínhamos de um e de outro, começou a mudar.

Na semana que hoje finda, precisamente na quarta-feira, algumas pessoas que estiveram no mesmo projecto combinaram um almoço. Eu fui. A Laura foi. E numa das minhas palhaçadas, aquando do pagamento da conta, disse:

- Pronto, lá estou eu com a mania que sou boa pessoa. 

E a Laura respondeu:

- Não tens a mania, és mesmo boa pessoa. 

E eu fiquei desarmado.  

fim-de-semana

Perdoai-me Senhor, porque eu pequei.

Não é o ócio, a preguiça e essas coisas boas, pecado? Pelo menos na catequese onde andei, venderam-me assim o produto. E logo eu que sempre adorei ronha, cama (não essa cama, ok?), ficar sossegadito a ouvir a minha respiração e mexer-me o menos possível. Tinha planeado imensas coisas para este fim-de-semana, e a única que consegui cumprir foi arrumar a roupa para amanhã. 

Tirando os almoços/jantares de família, estive deitado a ver televisão (séries e filmes), estive deitado a jogar, dormi a sesta e estive no Instagram a ver as "novas". Ou seja, falhei as compras do supermercado, desfazer (ou fazer?) a barba, lavar a roupa, limpar o carro, o ginásio, o meu blogue, os blogues dos meus camaradas e uns favores que umas amigas minhas me pediram. Se o inferno existir, eu já tenho lugar marcado. 

Bom, e agora? Vou correr atrás do prejuízo? Devia, não é? Mas está a dar um filme tão bom na televisão... e já tenho as vidas todas no jogo... e a minha cama parece-me um programa tão bom... Não. Não devia. Não, tenho que aguentar. Nah, não me parece.

Ó meu Deus, porque me fizeste tão fraco? 

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

céu da boca

"E aí? 
Chupa toda, disse toda
E aí? 
Chupa toda, disse toda"



 


Sou só eu a achar que esta música é pornográfica?

planeamento

Comprado. Comprado. E comprado.

Não os meninos, obviamente.

Bom, agora só tenho que retomar o ginásio em força e matar-me na musculação para ficar em forma, e conseguir "caber" decentemente nestes fatos de banho. Depois, é mentalizar-me que tenho que os usar, dado que os comprei. E espero sinceramente que não tenham o mesmo destino daqueles fatos de banho super hiper mega giros que comprei, mas que ficaram na gaveta porque não me gosto de ver com eles.


Créditos: Aussiebum

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

desabafos

Fónix! Madito tempo, pah! Estou todo atacado da sinusite e da renite. Pareço a Fontana de Trevi nos seus dias áureos. A diferença é que ninguém me atira moedas - se bem que se for para atirar alguma coisa, que sejam notas porque a vida está difícil. 

Devia era de emigrar para um país que tivesse um clima que não me deixasse de rastos. Nem tenho conseguido ir ao ginásio nem nada. É pah, tenho mesmo que arranjar um personal trainer todo jeitoso que me ponha a mexer. L-i-t-e-r-a-l-m-e-n-t-e. Mas o gajo português que eu seguia no Instagram (que trabalhava no Fitness Hut) e que era capaz de contratar para o efeito... desapareceu do mapa! Portanto, nada feito. 

Ah e vou vender um rim para comprar o novo Iphone (vou nada, foi só para provocar terceiros cheios de lições de moral para dar... aliás, não há parte nenhuma do meu corpo que preste, portanto foi só mesmo para gozar com a situação).

Vá, vou comprar lenços de papel. Ou isso, ou um nariz novo. 

anonimato

Sobre a escrita de blogues, anonimato e afins, sobre o escrever por escrever, sobre se os amigos/familiares conhecem os blogues que escrevemos e assim, sobre o facto de ser um exercício solitário e onde muitas vezes não se procura "a fama", aconselho a ler o artigo escrito pelo Casal Mistério. É tão, mas tão "isto"!

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

dan amboyer

Um dos famosos de Hollywood "saiu do armário" (odeio esta expressão, por acaso) e casou com o namorado de longa data. Bom, eu confesso que não conheço o senhor de lado nenhum, e foi a primeira vez que ouvi falar no mesmo (vá, chicoteiem, chicoteiem!), mas que ele é giro, é! Que é fofinho, é! Que dá vontade de dar colinho, dá! E que fica tãooooo bem com o agora marido nas fotografias de casamento, fica. E como adoro casamentos, não poderia deixar de partilhar algumas imagens do mesmo, "roubadas" do Instagram do Dan.


Créditos: Instagram Dan Amboyer 

Créditos: Instagram Dan Amboyer 

Créditos: Instagram Dan Amboyer 


Podem ler a notícia completa aqui

blogues

Fui espreitar a iniciativa "Blogues do Ano" e fiquei um bocado decepcionado. Considerando a logística envolvida, os jurados, o facto de já ser uma segunda edição e todos os meios ao dispor desta iniciativa (ligada a um grande grupo de comunicação social), achei o resultado final um bocadinho pobre. Aliás, muito pobre. A começar pelas categorias. Não há blogues de música? De contos? Eróticos? De humor? 

Bem sei que criticar é fácil, e fazer melhor é que é difícil, mas considerando que já tive a audácia de participar numa iniciativa semelhante (embora os "prémios" fossem destinados a blogues LGBTI+), verifico que todos nós fizemos um trabalho bastante meritório naquela altura. Tenho muito orgulho em tudo aquilo que foi desenvolvido, mesmo com a avalanche de críticas que tivemos - e sem apoios nenhuns! 

Por uma questão de curiosidade, convido-os a visitar e explorar, o site dos Blogues do Ano e formularem a vossa própria opinião. Ainda assim, acabei por votar nalgumas categorias, porque estão lá projectos de enorme valor (e são blogues que acompanho) que merecem o destaque dado. 

vícios

Sim, sou viciado em café.

Créditos: Nespresso

desabafos

Dizem que na vida devemos relevar as coisas más e valorizar as coisas boas. Dizem-nos que devemos ter uma atitude positiva perante as adversidades e que devemos sorrir sempre que possível. A verdade é que nem sempre conseguimos estar assim na mó de cima, e deixamo-nos muitas vezes, arrastar por situações que nos parecem irresolúveis à primeira vista. Mas tudo tem solução. Basta querer. E como digo muitas vezes: quem procura, encontra. 

Na vida nada é estanque. E tudo pode mudar de um dia para o outro. Tudo pode parecer lindo e maravilhoso hoje, e amanhã estar um enorme nevoeiro que não nos permite enxergar um palmo à frente do nariz, ou vice-versa, mas o truque é não desistir, quer nos dias bons, quer nos dias maus. Acima de tudo, temos que nos valorizar enquanto seres humanos e perceber que as críticas, até as destrutivas, podem transformar-nos em pessoas melhores – há que saber tirar partido da coisa. Mas lembrar sempre, que as pessoas tóxicas não devem ter um lugar ao nosso lado. 

Não esquecer, porém, que devemos ter amor-próprio e que não devemos ser sempre nós a correr atrás. Sejam amigos, familiares, engates, namorados, maridos ou filhos, a maneira salutar de viver é deixar que o jogo do rato e do gato tenha os papéis invertidos de quando em vez. Estão a ver aquele amigo que nunca está disponível para nada? Que somos sempre nós a ligar, a convidar, a preocupar anos a fio, sem ter retorno? Bom, se num espaço de um ano esse amigo não fez o mesmo convosco, mais do que uma vez, é porque genuinamente pensa que vocês não fazem falta na vida dele, e aí, o melhor é tirar a ficha, arrumar numa caixa os bons momentos e assumir que o papel dessa pessoa na nossa vida chegou ao fim.

blog porn

Lê-me todo... de uma ponta à outra.

despertares

Ó minha vizinha'zinha, 
Ó minha vizinha'zona
Podias era pôr os teus filhos a berrar, 
no meio da tua... cozinha!*

*Era mesmo isso que estão a pensar, mas este blogue tem de voltar a ser familiar.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

livros

Quem me conhece, sabe que sou tarado. Quem me conhece, sabe que adoro o corpo masculino. Quem me conhece, sabe que gosto de fotografia. Quem me conhece, sabe que gosto de nudez. Quem me conhece, sabe que adoro fotografar terceiros. E quem me conhece sabe, que adoro o preto e branco. E no seguimento da coisa queria comprar o livro do Kevin McDermott chamado "Exhibition", que contém 160 páginas de retratos e nus, e que custa a módica quantia de 68,50 dólares mais portes de envio. Esses (os malvados portes) ficam a 40 dólares, o que perfaz o total de cento e tal dólares, o que significa duas coisas:

1. Vai ficar retido na alfandega e vou ter que pagar um balúrdio;

2. No final, fica demasiado caro para o que é.

Créditos: Kevin McDermott

Contudo, para quem se quiser aventurar na compra, ou me quiser oferecer o livro, pode fazê-lo aqui!

crushes

A minha nova crush televisiva: o jornalista da RTP, Alexandre Santos

Créditos: Associação dos Jornalistas de Desporto

Sim, eu sei que ele é casado.

Sim, já me fartei de passar a ferro.

Sim, sou muito preguiçoso.

esquecimentos

Ah ia escrever um texto sobre uma coisa qualquer que já tinha escrito aqui neste "novo" blogue, mas já não me lembro do que era, nem sequer do que queria escrever. Bom, se calhar devia era mesmo procurar um Lar todo catita com auxiliares jeitosos para me mudar a fralda. 

Vá, vou passar a ferro - estou tão contente. Yupi. Hey.

procuras

Uma pessoa quer comprar um apartamento em Lisboa (pode ser pequenito, não tem de ser uma "penthouse!"), mas pelos preços praticados valia mais comprar um imóvel em Nova Iorque. Assim como assim, Nova Iorque é Nova Iorque, e assim como assim, sempre mudava de ares. 

A verdade é que já ando aos anos nisto, e ainda não arranjei nada que gostasse (€€€€€). Digamos que o mais barato que encontro fica em bairros sociais, e eu como sou anti-social, estou cá desconfiado que a coisa não ia correr bem. Também já ando pelos subúrbios, mas os preços praticados teimam em não se encaixar na minha conta bancária. Até nos subúrbios não tenho a vida facilitada. Mas querem que vá viver para onde? Alfândega da Fé? E depois como fazia com o resto? Não, não, não pode ser. Tenho que encontrar qualquer coisa nestas bandas, sendo que pelo andar da carruagem devia era já procurar um Lar que me acolhesse na velhice. 

Mas nestas coisas já se sabe, quando o desespero aperta o verdadeiro português pensa "há pessoas piores do que eu" ou "estamos todos na mesma situação. A verdade, é que pelos vistos não estou sozinho nesta luta. Ao que parece a Madonna também está com o mesmo problema do que eu, embora esteja desconfiado que a parte financeira não seja algo limitador na sua escolha. Há escolhas e escolhas, e há Madonnas e Madonnas, e depois há toda a franja de pobres como eu. Mas tendo em conta que ela está agora, de óculos escuros e toda sorridente no Estádio da Luz a ver o jogo Portugal - Suiça, suponho que já tenha o seu problema'zito resolvido. Ou isso, ou já arranjou guarita em qualquer lado. Vai filha, aproveita o embalo que eu vou passar a ferro - coisa que também estou desconfiado que não saibas o que é. 

domingo, 8 de outubro de 2017

namorado por uma semana

Uma das notícias de hoje em Portugal, é o facto de já ser possível contratar uma namorada por umas horas (ou um dia inteiro), por um custo de 60 a 80 euros/hora. Dizem os responsáveis pelo site www.rentalgirlf.com que não há sexo envolvido, e no máximo podem existir uns beijinhos inocentes, caso assim fique estipulado pelas partes.

Ao ler esta notícia verifico que há mercado para tudo, mas também não me choca, já que defendo que se houvesse sexo a três tinha que ser com um "garoto de programa" porque assim não havia o risco de ninguém se apaixonar - mas isto sou eu que tenho a mania que sou moderno. Adiante. 

Verifico contudo, que mais uma vez estamos perante um negócio masculinamente sexista, e que não há um site nos mesmos moldes, que alugue namorados. Vai daí, tive uma ideia! Plim! Eu sou um génio! Vou lançar o desafio do Namorado por uma semana

Gostavas que fosse o teu namorado - sejam meigos e não digam a verdade, ok (LOL)? Gostavas de ter um namorado contratado? Um tipo ligeiramente parvo e com a mania?Agora é possível e vou explicar como! 

Então é assim: durante uma semana vou ser o namorado de quem se inscreva neste programa. E como? É pah, como tenho pouco tempo, o processo desenrola-se através de sms's (para inscritos em Portugal) e e-mail (para os que estão fora de Portugal). 

Para participar, basta enviar um e-mail para namorocomumpopstar@gmail.com com o contacto (telemóvel e/ou e-mail), nome e uma breve descrição do participante - gostos pessoais, comidas favoritas, desportos praticados ou que seja adepto, profissão, e outros pormenores que considerem relevantes. Ah, nota importante: a inscrição é pessoal, ou seja, não podem inscrever amigos e outras pessoas. 

Aceito  participações até às 23h59m de domingo, dia 15 de Outubro de 2017. A partir de segunda-feira, dia 16 de Outubro, e durante uma semana, começa a experiência do Namorado por uma semana

Não esperem contudo uma coisa espectacularmente espectacular, mas o que interessa é que a parvoíce da ideia e do desafio seja levado ao limite!

Vá, agora pensem no assunto com carinho! 


#achoquemevouarrependerdistomuitoamargamente

madonna

Hoje vi os jornais e não li nada sobre a Madonna em Lisboa. Fiquei preocupado por 5 segundos. 

Depois fui lanchar. 

blogues

Depois de meses separado do meu blogue, vejo que tenho tanto para fazer aqui no dito, que já estou cansado. Tipo, tenho que arrumar a casa, tirar o pó, revitalizar o espaço, abrir as janelas e trabalhar em prol dos textos e imagens que compõem este projecto. E verdade seja dita, fica mais barato vir para aqui escrever do que contratar um psicólogo. E para contratar um psicólogo teria que ser um gajo giro e podre de bom, para que me conseguisse arrastar para a consulta - caso contrário, nada feito. 

Também tenho que sentir o pulso da blogosfera. Tenho que ver quem ainda está "vivo" e quem ainda resiste nesta aventura de ter um blogue. Se isto fosse uma Junta de Freguesia, diria que está na altura de emitir a prova de vida de alguns blogues. Assim sendo, tenho que ir ler os blogues alheios para saber dos meus camaradas bloggers, mas também para ver se tenho inspiração para os próximos tempos. Porque isto sem inspiração não vai lá, e se é para trabalhar sem ver nenhum "tusto", ao menos que gaste energias por aqui. Sim, não faço "borlas", tudo está tabelado com um preço. 

Aproveito ainda a oportunidade para vos relembrar ainda um projecto que tentei implementar há 1 ano atrás, e que se chama "Rede de Blogues Igualitários". Basicamente estamos a falar de um directório para todos os blogues que sejam escritos por LGBTI+, tenham conteúdos LGBTI+, defendam direitos iguais para LGBTI+, etc etc. Para o efeito basta enviarem um e-mail, ou deixarem um comentário nesta publicação, com o endereço do vosso blogue ou página e eu faço o obséquio de inserir na listagem. 

Créditos: Namoro com um Pop Star



Ahhhh e ainda não desisti da ideia de um dia conseguir implementar o outro projecto da revista online com conteúdos LGBTI+! Mas calma, ainda agora cheguei!*

Ahhhhhhhhh! Entretanto já tive outro ideia que vou comunicar numa próxima publicação.* 

*Até parece que não tenho mais o que fazer... 

séries

Quem me conhece, sabe que adoro ver televisão, quanto mais não seja para ter um ruído de fundo para não me sentir sozinho em casa, quando estou sozinho em casa. Mas o que me chateia em televisão, é o facto das séries que acompanho deixarem-me sempre pendurado. Ou seja, ou já acabaram, ou não há episódios novos ou então foram canceladas por um qualquer anormal que me quis fazer a vida negra. Confesso que já não tenho muita paciência para começar a ver séries novas, porque já sei que depois vou ficar agarrado na mesma.

Para quem vê séries e tem televisão por cabo, sabe que esta altura é aquela fase em que tudo é repetido e das poucas séries que não vi, não me apetece começar a seguir. Aliás, de momento na FoxLife está a dar uma série que nunca me "puxou", chamada "Star". Não sei... comecei a ver "Empire" e a partir daí, tudo o resto já me parece uma cópia mais ou menos disfarçada. De facto, não sou uma pessoa muito paciente, nem sequer com uma grande vontade de começar qualquer coisa nova... portanto estou de momento a ver a série, mas só para ver se apanho o Chad James Buchanan nu (Sim, é loiro. Sim, tenho uma "panca" por loiros e olhos azuis. Sim, se estivesse solteiro o meu próximo namorado seria loiro e de olhos azuis. Sim, o Chad é um pão. Sim, "ó starrr, ó starrrr!").

Ah e para quem não sabe de quem falo, ou que vem a este blogue só por causa das imagens, aqui está o Chad:

Créditos: Instagram do Chad

Créditos: Instagram do Chad

Créditos: Série "Star" | Fox 

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

too much

Amigos da Much: já paravam de publicar no vosso Instagram imagens apelativas da vossa roupa interior, com diferentes modelos masculinos, né? É que sempre que colocam um gajo novo com os vossos produtos, lá vou eu ter que o seguir... e qualquer dia só sigo as pessoas que vestem Much, e isso dá-me um ar um bocadinho desesperado (mais ainda do que aquele que tenho), né?

#estenãoéumpostcomercial #estepostfoiescritoporqueeuquis #nãoestouadargraxaaninguém

mensagens

Recebo uma mensagem pelo Instagram de um puto de 22 anos:

"Tens montes de anos, mas com um corpo... :P"


Bom, antes de deprimir, vou considerar isto um elogio.

avisos

Vou ao site da TAP pesquisar voos para o Rio de Janeiro no Carnaval de 2019, pelo computador, e este além de não fazer a pesquisa que lhe mando fazer, ainda me deixa o seguinte aviso: 

"Notámos actividade que nos indica que será um robôt, pelo que não é possível responder ao seu pedido. Se considerar que se trata de um engano por favor ligue para 808 XXX XXX"
[qualquer coisa nestes moldes]

Como sou um bocadinho teimoso, tentei fazer a mesma pesquisa pelo telemóvel e deu a mesma mensagem. Ou seja, boicote. De certeza que quem está do outro lado pensou "hummm, carnaval, gajo, hummm, gay". Foi isso! Estou a ser discriminado! Não acho nada bem. Mesmo nada. Uma pessoa quer planear as coisas e não deixam. Uma pessoa quer arrumar a mala com tempo e não deixam. Uma pessoa que organizar a sua vida e não deixam. Pronto, ok, não querem que vá, eu não vou, mas agora chamar-me de robôt... quer dizer, logo eu que sou o afecto em pessoa. #pronto,desabafei

Enfim, vou ver viagens para Bora Bora. 

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

músicas

Entrámos para jantar no restaurante. A banda sonora de fundo apresentava êxitos de vários passados, que encaixavam nos ouvidos apenas como ruído ambiente. Sentámos-nos e escolhemos. Falámos dos últimos dias, e numa das pausas onde os nossos olhares se cruzaram para dizer que sim, passa a música da Shakira, "Underneath Your Clothes". Parei o que estava a pensar, notei que ainda sabia a letra de cor e disse-lhe: 

- Era uma das minhas músicas para a dor de corno. 

- De corno?

- Sim, de quando os gajos me deixavam na merda. 

De facto era. Sempre que levava uma tampa de um gajo qualquer e pensava nos inúmeros defeitos que tinha, lá aparecia esta musiquinha bastante melodramática para dar ambiente. Sentia-me naquelas cenas das novelas, quando os casais se separavam por qualquer motivo, e rebolavam na cama a pensar na vida, com a banda sonora ideal para gerar simpatia e compaixão. Mas a vida não é uma novela, nem sequer é perfeita, e portanto, no dia seguinte, nem sequer tinha o consolo de um "café da manhã à novela brasileira" na cozinha para me animar. 
É verdade que me punha a jeito na maioria dos casos, e também não deixa de ser verdade que vivia muito da virtualidade nesses tempos... mas a malta era tímida e tinha medo. Discreto e fora do meio? Era o pensamento da altura. Se bem que como dizem por ai: "discreta é a tua mãe que sabe e não te diz nada".

aulas de desenho

As minhas aulas de desenho da faculdade não eram assim.

 Mas podiam ter sido.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

qualquer coisa de outubro

Ah, amanhã é aquela cena da República, né?

voltei voltei, voltei de lá

Esta coisa de ter um blogue só funciona quando sentimos vontade de escrever e partilhar qualquer coisa. Poderia dizer-vos, que acho o Ricardo Robles um pão e que lhe mandei uma mensagem pelo Facebook a dar-lhe os parabéns pela eleição. Poderia contar-vos, que há malta que tem uma paciência de Jó, por ficar à espera que os namoros dos outros terminem. Poderia informar-vos, que me parou a digestão a semana passada e andei três dias a vomitar e a cagar fininho. Poderia dizer-vos, que gosto de receber nudes. Poderia até confidenciar-vos, que ultimamente ando com problemas de auto-estima. Poderia dizer-vos, que tive umas férias de verão horríveis. Poderia dar-vos a nota, que ando a pagar dois ginásios, sem colocar os pés num deles. Poderia dizer-vos, que o meu colega bixa que-eu-odeio-de-morte agora resolveu ser engraçadinho comigo. Posso assumir-vos que não tenho paciência para nada. Posso contar-vos que tenho o porta bagagens avariado e que levei com o dito na cabeça, tendo-me o cabrão feito um galo de todo o tamanho, que me ia fazendo desmaiar. Posso dizer-vos, que às vezes a ideia de ter um amante chamado Ricardo Robles, que veja só à hora de almoço no hotel Ibis da Cril, é o que me anima no trabalho da treta que tenho. Posso contar-vos que a minha mãe vai a pé para Fátima. Posso informar-vos que participei activamente numa campanha autárquica. Posso confirmar-vos, que estou tão cansado, mas tão cansado como nunca estive. Posso comunicar-vos, que não tenho qualquer problema em dizer o que penso. Posso dizer-vos que fiquei à espera de mais do último episódio da Guerra dos Tronos. Posso assumir-vos, que acho que os cartazes do Ricardo Robles ficavam melhor com o senhor em tronco nu. Posso informar-vos, que já soube os-não-sei-quantos-funny-qualquer-coisa desapareceram do mapa e anda tudo à procura dos motivos (se calhar acabou o pau de cabinda canela). Posso dizer-vos que não gosto de pessoas que não assumam o que sentem e que venham com merdas para cima dos outros, culpabilizando-os. Ahh e ainda poderia contar-vos, que a minha colega do gabinete do lado deixa na parrachita dela apenas uma "ciclovia" para o marido não se perder com a bicicleta. Mas não. Não tenho nada de jeito para partilhar convosco, nem nada de extraordinário que me obrigue a quebrar a inércia que domina o meu corpo na cama.

Não. Esta publicação não aconteceu. 

E agora vou ao wc e beber um copo de água (não necessariamente por esta ordem).  

sexta-feira, 2 de junho de 2017

avisos

Ahhh sobre a publicação dos tamanhos e dos 40 cm: 

Podem cuscar o Instagram à vontade porque eu tenho aquilo desbloqueado. Ou seja, não precisam de seguir para ver. Eu sou um doce, eu sei. E também sou muito liberal.

coreografias

Bem, já tenho coreografia para o fim-de-semana... pode ser que ganhe uns abdominais pornográficos também. Ou então, vou comer como se o mundo fosse acabar hoje (tipo, uma decisão à Trump) e começo segunda-feira a "dieta"


tamanhos

E no seguimento da publicação anterior, almocei uma pizza enormeeeeeeeeeeee (podem ver a imagem no Instagram) de 40 cm. Não ligo a tamanhos, mas neste caso, o tamanho faz a diferença. E estava boa. E sim, aguentei bem (mentira, sobraram 3 fatias). 

E depois sigo no Instagram um PT do Fitness Hut, todo giro, cheio de músculos, com uns abdominais pornográficos e penso: a comer pizzas de 40 cm não vou chegar à aquela forma física tão cedo. Também a baldar-me ao ginásio, não ajuda, né? 

sexta-feira

Estou cheioooooo de calor. 

Ah e acabei de comer um muffin


Digam lá que a vossa vida a partir desta publicação não ficou mais interessante? 

quinta-feira, 1 de junho de 2017

dia mundial da criança

O Anfitrião mandou-me um e-mail ontem com estas imagens e como hoje é o Dia Mundial da Criança, lembrei-me de vos deixar ficar um "doce".*

Créditos: TVI - Ouro Verde

Créditos: TVI - Ouro Verde


Créditos: TVI - Ouro Verde




*doce de aspecto... porque de feitio... ahahahah

quarta-feira, 31 de maio de 2017

dúvidas

Diz que amanhã começa a época balnear em Portugal. Não me lembro de ter votado para escolher os nadadores salvadores para a Praia 19 na Costa da Caparica. Odeio ser o último a saber.

manhãs

Tenho mau acordar. Ou melhor, não gosto muito de acordar (porque adoro dormir) e funciono muito melhor da parte da tarde, e pela noite dentro, do que no período da manhã.  Por isso, quando me arrasto para o ginásio de madrugada, levo sempre uma cara de mono que não esboça um sorriso, sou um bocado antipático a roçar o mal-educado e odeio pessoas cheias de energia. Aliás, a essa estirpe de pessoas só me apetece pegar-lhes na cabeça, e bater com a dita numa parede até jorrar sangue. Demasiado gráfico? Não se queixem, vocês vêm e gostam do Walking Dead.

Por isso não é de estranhar que odeio que berrem ou falem alto de manhã. E O-D-E-I-O que uma bicha ranhosa ande a correr pelo ginásio, atrás das amigas das aulas de grupo, para lhes dar com uma toalha nas fuças. Não tenho nada contra agressões no ginásio a macacas estúpidas que me roubam as máquinas e ficam mais de 45 minutos em cada uma (by the way, ó loira e amiga morena, qualquer dia levam com um peso na tromba. E não. Não te quero comer, o meu olhar é de ódio porque estás a ocupar-me espaço mais a tua trupe), mas acho que podia fazer isso nos balneários. Não tenho que estar a levar com as vossas correrias à minha frente, e o som da toalha a bater-vos na cara com toda a força no mundo, incomoda-me. É muito barulho para uma manhã. Ah façam isso nos balneários, mas desde que eu não esteja por lá. Ahh, e já agora que estamos nos "discos pedidos", também não tenho que levar com os vossos berros a lavar a pilinha de manhã, e a convidar uns e outros, para vos lavar as costas. Se querem brincar os gays, brinquem, mas não à minha frente. Eu continuo desconfiado que os vossos comentários homofóbicos são o recalque de alguma coisa. Verdade. Não sou uma pessoa fácil. Todo eu sou o incómodo em pessoa. Se ao menos fossem giros, até conseguia tolerar, mas não, tudo o que é mau'zinho concentra-se ali. Eu acho que é um castigo divino porque não fui tirar um café à minha colega Maria. 



Já deu para perceber que ainda não acordei, não deu? Bom, vou comer um iogurte. 

vícios

Ainda no trabalho, estava eu a roer as unhas e a minha colega da frente diz:

- Um gajo tão giro a roer as unhas. Assim é normal não arranjares uma namorada. 


Pois... vá se lá saber o porquê de não arranjar uma namorada, né? Mas desconfio que não é por roer as unhas. 

Serei gay?

cores

Uma colega/amiga minha chegou ao trabalho hoje de manhã, com uma camisa e casaco verde fluorescente, e eu digo:

- Vai sinalizar alguma estrada?


Ela riu-se, mas não sei se achou piada. 

estatísticas

Finalmente as estatísticas do meu blogue voltaram ao normal. Deixei de ter mais de 1000 visualizações diárias, e os Estados Unidos da América deixaram de ser o país com mais leitores. Terá sido o Trump?

terça-feira, 30 de maio de 2017

segunda-feira, 29 de maio de 2017

rimas

E o que rima com Polícia e cãozinho?

Créditos: Facebook Polícia Segurança Pública

novo mundo

Antes de escrever este texto pensei duas vezes. Se já tenho poucos leitores/amigos brasileiros, depois de publicar isto, vou ficar sem nenhum. Mas pronto aqui vai. 

Quando soube que a Rede Globo iria fazer uma novela sobre o período dos portugueses no Brasil, e como isso levou à independência do país, fiquei super empolgado. Adoro séries/novelas/filmes com História e pensei que este seria um bom produto. Aliás, na senda da qualidade dos produtos televisivos que a Globo nos acostumou. A última novela que vi nestes moldes, e que gostei,  foi a "Força de um Desejo" com o Fábio Assunção e a Malu Mader - que gosto muito de ver representar. Não vejo os episódios todos, mas vou ficando intermitente com o formato televisivo, pelo que, como este costuma ser muito extenso, consigo apanhar o enredo a qualquer parte da história. 

Contudo, na semana passada estava em casa a descansar um bocado antes de jantar, e lembrei-me que o canal de televisão português SIC estava a passar a novela Novo Mundo e resolvi assistir para ver se gostava. Bom... como é que poderei dizer isto... se há coisa que odeio é ver um brasileiro tentar falar com o português de Portugal e ver um português tentar falar com o português do Brasil, embora nós por cá, como estamos habituados a ver novelas brasileiras desde criança, conseguimos apanhar melhor o ginga joga do "português brasileiro". Confesso, que tive alguma dificuldade para perceber o diálogo das personagens e só consegui entender o "português do Brasil". Ver o Caio Castro (giro que se farta) a falar como "nós" arrepia-me! Porque não adoptaram o "português brasileiro" como o português da altura? Nos filmes americanos sobre a Roma Antiga, eles não falam com o dialecto da altura... pois não? Bom, admito que sou picuínhas, e que se calhar não fiz o esforço devido... mas o Novo Mundo não dá para mim... sou mesmo um gajo do Velho Mundo.

Créditos: Rede Globo

polícias

Uma das coisas boas quando se passa junto da sede da Polícia Judiciária em Lisboa, à hora de almoço, é ver aqueles policias todos jeitosos a deambular pela rua. Altos, musculados, grandes rabos, baixos, pouco musculados, portáteis, etc, há de tudo como no supermercado. 

O único problema é que se vais a conduzir, ainda te arriscas a atropelar alguém na passadeira.

ricardo robles

Eu digo-te o que partilhava contigo, digo.



domingo, 28 de maio de 2017

domingos

Não recebi nenhum e-mail dos jogos Santa casa. Isso quer dizer que não ganhei o Euromilhões. Isso quer dizer também, que hoje é domingo, não ganhei o Euromilhões e vou continuar depressivo. Era isto. Obrigado e boa continuação daquilo que estavam a fazer.

aniversário

Vais fazer festa de aniversário este ano? - perguntou a minha melhor amiga ontem. 


Tive que dizer que não. Já não é a primeira que me questiona isso, e a resposta tem sido igual para todos. Ou seja, não. Há uns que querem ir para os Santos Populares comigo e fazer uma festa, outros querem um jantar, outros rambóia pura e dura, mas para fazer alguma coisa teria que convidar todos os meus amigos, sob pena de alguns ficarem chateados comigo. Se no passado almoçava com o namorado, jantava com os pais e irmão, tomava café com alguns amigos, brunch com outros e jantar com direito a saída para o Trumps com outros tantos, este ano achei que já não tinha disposição para estar nestes eventos todos. Gostava no futuro de fazer um único jantar com todos os meus amigos que queiram estar comigo, e os 40 serão um bom motivo para isso. Bem sei que estou a escreve isto e depois no momento já sei que vou a "mini-eventos" porque vão-me convencer que "não é uma festa de aniversário, é um convívio entre amigos. 

E depois é a questão de fazer mais um aniversário. Tipo, isto está a passar muito depressa e vejo que depois dos 35, fazer anos já não é assim tão giro. Não tenho medo de envelhecer, tenho medo sim, de ficar sozinho no mundo, mas isso é outra conversa. Também é verdade que a idade está na cabeça de cada um, e esta semana no Facebook, um miúdo de 24 anos, que já andava a meter-se comigo há meses, perguntou-me a idade e quando lhe respondi 36 o rapaz ficou um bocadinho a pensar na vida. Mas se isso diminuiu o interesse? Não. Pelo contrário. Pelos vistos estou bem para os 36.

oferta

Diz que inteiro fica mais em conta.

Créditos: Apanhado no Facebook

sentimentos

Sou um bocado (muito) lamechas. Para mim tudo na vida tem de ter sentimento. Seja no trabalho, seja a escrever ou desenhar, seja até neste blogue, na amizade, num namoro ou apenas numa queca fortuita. Houve tempos que invejava quem conseguia marcar uma noite escaldante de sexo e copulava como se não houvesse amanhã. Eu era mais atadinho. Nunca consegui ir para um site de engates, mandar mensagem, marcar algo e passado umas horas estar com alguém. 

Não estou a dizer que sou santinho atenção, também tive esses comportamentos mais lascivos, apenas digo que antes de qualquer coisa, queria sempre antes um café, uma conversa, um carinho qualquer dado por um sorriso giro. Quando alguém me dizia "vamos foder?", eu respondia "é pah atrais-me muito fisicamente, mas podíamos primeiro beber um café, dar uma volta ou ir ao cinema?". É claro que o meu comportamento assustava. Então a malta queria esvaziar os tintins, e eu já queria saídas e beijinhos? É o que dá ver muitos filmes da Disney.

Acho que nunca me consegui expressar bem esse ponto. Ou se calhar confundia as coisas, mas para mim continuava a ser estranho chegar, despir, pinar e bazar. Não sei. Ou melhor, sei que tenho problemas, mas não consigo legitimar isso. Talvez por isso também, os meus melhores relacionamentos casuais tenham sido aqueles em que de alguma forma consegui conectar-me com a outra pessoa. É claro que por vezes correu mal, porque esperei algo mais de alguém, que jamais o iria dar, mas isso é algo para outras núpcias. 

defeitos

Dos milhões de defeitos que tenho, há um que revela a minha teimosia. Quando embirro com alguém já não consigo mudar de opinião sobre essa pessoa e não consigo disfarçar. 

Como diz o meu irmão, "nunca vou ser ninguém na vida"

versailles

Versailles (no título original) é uma série que estou a acompanhar de momento, e como gosto muito de História e de produtos televisivos que vertam tempos passados, estou deliciado. A estética da "coisa", o Rei Francês pobre de bom (perdão, o actor que interpreta essa personagem), a intriga do guião e o facto de me sentir estimulado para ir buscar livros de história, fazem com que dê pontuação máxima a Versailles. Ok, ter uma parte do elenco gay, também é motivo para gostar desta série, embora reconheça que se tal não existisse, não iria ficar desiludido. 

Créditos: Série Franco/canadiana "Versailles"


Sobre a parte das cenas de nudez que têm chocado meio mundo, não acho nada de mais. É sexo. É vida. E no contexto da corte do Rei Luís XIV faz todo o sentido. Não sei, parece-me um acrescento natural ao guião e sem esses momentos, a história ficaria incompleta e talvez o produto final soasse a falso. 

Nisto tudo só tenho um reparo a fazer: os gays deviam ser mais engraçadinhos. Aquele Filipe de Lorena não me encaixa. Mas também não é a mim que tem de encaixar, né?

domingos

Que belo domingo. Depois de um almoço familiar onde comi como se não houvesse amanhã, aterrei em frente ao computador para ler alguns blogues. O tempo também está assim para o manhoso, pelo que também não fico com peso na consciência de não ter ido até à praia. Bom, verdade seja dita, mesmo que quisesse ir, não o conseguiria fazer porque fui extrair um sinal na sexta-feira e ainda não posso apanhar sol. Mas não é nada de preocupante, descansem. Como disse aos meus amigos, tirar o sinal não custou nada, só doeu mesmo a parte de pagar a cirurgia. 


sexta-feira, 26 de maio de 2017

rimas

E o que rima com Pedro Carvalho?

Créditos: Instagram Pedro Carvalho

blogue

A minha vida não anda fácil, mas isso já nem sequer é novidade. Que descurei aqui o blogue, também já toda a gente percebeu. Que a "coisa" já não é igual ao ano passado, está à vista de todos. Mas todas estas premissas não significam que tenha perdido o prazer de escrever ou de ter este espaço. Não. Não é por aí. 

Para se ter um blogue, não basta criá-lo. Há que alimentá-lo. Há que verter a nossa personalidade, para que seja autêntico. Ter um blogue exige ter algum cuidado com o que se partilha. Tem que se estabelecer critérios para não publicar a primeira coisa que nos passa pela cabeça, e não sendo eu uma Edite Estrela da blogosfera, julgo que pelo menos, devemos passar o texto a publicar por um corrector ortográfico. 

Ter um blogue exige pesquisa. Exige que, pelo menos, não troquemos o nome das personagens. Os textos pedem que se tente condensar ao máximo o momento que se quer partilhar, saltando por vezes, a necessidade de um registo fotográfico que nos ajude a demonstrar a mensagem que queremos passar.

A causa, como já afirmei, não se resume na falta de tempo para escrever (até porque para isso, quando se quer, arranja-se sempre maneira), mas sim, na inspiração. Per si, a minha vida já é um autêntico carrossel, onde consigo obter imenso material para contar e partilhar, mas muitos dos temas que abordo aqui, advêm daquilo que leio na blogosferaNaquilo que os outros escrevem e que partilham. Tudo bem que a minha leitura é orientada num determinado segmento, e que a blogaysfera já teve melhores dias, mas ainda assim é muita coisa para ler, opinar, analisar, retribuir. E faço-o com todo o prazer do mundo, porque não me sinto obrigado a nada. 

O que se passou no passado, é que fiquei refém do blogue. Vivia 24 horas para o Namoro com um Pop Star. A mente não desligava e só pensava, "e se fizer isto" e "aquilo", e o "que posso promover" e o que "posso ajudar". Pode não parecer, mas este comportamento cansa. Andava esgotado, de rastos e comecei a questionar se era mesmo isto que queria. Não sou um bloguer profissional e não consigo viver do que escrevo aqui. Portanto, não poderia sacrificar mais os meus outros "eu's" sob pena de perder muita coisa, até porque não sou uma Pipoca Mais Doce, nem um Arrumadinho. Tenho uma profissão artística que vive da imagem e do desenho, e não da escrita, e é essa actividade que me paga as contas.  

Também é verdade, que a "caça ao Namorado" me começou a irritar um bocadinho, mas as pessoas devem perceber que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Percebo a curiosidade. Não entendo o abuso. Aliás, eu não sou nenhum pokémon para ser caçado, nem sou um gajo pobre de bom para a malta babar, por isso também não se perde nada. Asseguro-vos. Ahhhh! E mesmo que fosse um qualquer pokémon seria tão raro, mas tão raro, que estaríamos na mesma situação.   

Não obstante tudo isto, nunca consegui deixar de ser bloguer. É mais forte do que eu. Como se costuma dizer, "uma vez bloguer, sempre bloguer" e eu sigo essa velha máxima. Assim, resolvi desenhar uma resolução, não de ano novo, mas de verão, vá. Resolvi dedicar-me mais a este blogue, nem que para isso tenha que me levantar às 5h da manhã. Não será uma obrigação, apenas um motivo para voltar a ser um bocadinho daquilo que já fui. 


Créditos: UnPlash + Namoro com um Pop Star


Ahhh e já agora: 

Estou com imenso orgulho dos miúdos de Vagos!