terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

second

Depois do vídeo viral dos Holandeses a querer ficar em segundo - face à América de Trump, chegaram outras participações a querer também um lugar no pódio, incluindo a portuguesa - realizada pelo talk show da RTP1 "5 para a meia noite" e que já é um sucesso mundial. 



Para mim, no TOP dos vídeos já apresentados, está a participação Alemã, que através do humor explica e alerta para os perigos de se querer "ser grande novamente"

No seguimento desta corrente, tem aparecido também outros vídeos de regiões mais ou menos conhecidas que quiseram ter um protagonismo muito próprio. Dessas participações, trago a da nossa Ilha da Madeira: 




Sim, porque se América estará em primeiro, alguém tem de ser o segundo, né?

Todas as participações oficiais aqui!

mete nojo

Só para avisar que para a semana vou de férias.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

dúvidas

Ter inserida na extensa password do Facebook, a data que o nosso ex-namorado (neste caso o número 1) acabou connosco, não é sinistro, pois não?

dramas

Nãoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!


A rameira da NOS cortou-me os dados móveis no telemóvel porque diz que ultrapassei os consumos permitidos. Mas não ultrapassei! Como é que vou sobreviver se hoje ainda é dia 1 de Fevereiro??????????

Odeio a NOS. A pior operadora do mercado.

mandamentos do facebook

Mandamento 1


Palavra de Namorado aos Coríntios 

|O teu Facebook é sempre mais observado do que aquilo que tu julgas, e se fosse possível verificar quem andou a vasculhar as tuas fotos desbloqueadas, irias perceber muita coisa|


Por isso, e pelo Mark Zuckerberg, Oremos ao Senhor. 


Ouvimos Senhor. 


instagram

"- TOC TOC! 

- Quem é? 

- Testemunhas de Jeová. 

- Jeovi? 

- Jeová! 



Créditos: Ignacio Pérez Rey


Para seguir aqui.

sim, falo português

Escrevia há uns dias atrás, sobre as várias formas de falar português e sobre o facto de um português ter sido legendado no Masterchef Brasil. 

Bom, também tenho que confessar, que em conversas com alguns brasileiros demorei uma semana para perceber que "virada" significava a nossa "passagem de ano". Mas nunca disse que não sabia, tentei sempre perceber o contexto. Demorei foi uma semana. Mas cheguei lá. 

hemorróidas

Ainda sobre a colega da lateral esquerda: como anda muito esquecida em relação a tudo, eu coloquei-lhe a alcunha de Dory

Hoje quando cheguei ao trabalho e vi que a luz da casa de banho estava acesa, perguntei: 

- Quem é que foi à casa de banho e deixou a luz ligada?

Obviamente que ninguém me respondeu. Então virei-me para a Dory e disse:

- Deves ter sido tu. Como andas tão esquecida, só podes ter sido tu. 

- Euuuuuuuu? Não fui eu - disse-me em pânico.  

- Vê lá se é preciso colocar um aviso na casa de banho a dizer "Por favor Dory apaga a luz". O que virá a seguir? Um aviso a dizer "Dory não faças força, que isso faz hemorróidas"????? 

- Eu não tenho hemorróidas - disse-me confiante.  

- Ou seja, não tens lombas interiores - retorqui.  

*Pausa para silêncio*, até a colega da frente dizer: 

- Isso quer dizer que entra logo tudo direitinho, né?




Estão a ver como fiquei bem na fotografia? Eu pensei, mas não disse. Estou um homem'zinho. Um orgulho para os papás. 

couve-flor

Cheguei ao pé da minha colega do lado esquerdo e disse-lhe:

- Olha, a Rosa virou-se para a Couve-flor e estava indignada porque não percebia porque é que ela era flor, sendo tão feia. 

- Sim... balbuciou ela a medo.

- E a Couve-flor respondeu à Rosa: posso ser feia, mas sou comida, enquanto tu filha, és  flor e bonita e ninguém te come. 

Ela ficou a olhar para mim muito a séria, e eu continuei:

- Portanto, podemos depreender deste ensinamento da vida, que o importante não é ser gira ou bonita, mas sim ser comida.

- Tenho tanto para aprender contigo - disse ela. 

- Pois tens. Tu anota tudo o que te digo. Sou o teu Dalai Lama pessoal. 

- Dalai Lama? - perguntou ela. 

- Sim, dou-te ensinamentos para a vida. Neste caso em concreto a lição a reter é: não queiras ser jeitosa, prefere antes ser comida. 



O que vale é ninguém me leva a sério. 

estatísticas

Vale o que vale, mas estava a olhar ali para as estatísticas do blogger - já agora: não gosto do novo interface - e no "Histórico total de visualizações de páginas" tenho o número simpático de 428 451 visualizações. Tirando as 11 mil deste mês - e que correspondem à Parte 2 desde projecto - o número continua assustador, sendo que este é contabilizado desde a fundação deste blogue em 2012 até o final de 2016. 

O que fico a pensar, é que há alguém - nem que seja uma pessoa só - que perde tempo a vir aqui ler as parvoíces que escrevo e isso acaba por me lançar alguma responsabilidade. Ou seja, nem que seja só na questão visual do blogue, mas obriga-me a ter algum cuidado com o que partilho, mostro, sugiro e desabafo. 

Embora por vezes, me sinta também responsável pelo abandono do "bicho", a verdade é que a inspiração nem sempre existe, e isso acaba por condicionar as expectativas que possamos ter lançado para os outros, até porque a vontade nem sempre obriga a saltar da cama para a secretária (e eu tenho vontade, juro! Ainda estou na flor da idade!), e portanto é compreensível que falhe a capacidade de escrever o que quer que seja. Aliás, porque não é só escrever, é partilhar. É ter responsabilidade naquilo que se partilha.   

Voltando ao número acima, tenho a perfeita noção que muitas dessas visualizações são minhas, porque leio e volto a ler o que escrevo, à procura de erros, assim é natural que estas estatísticas estejam inflacionadas - o que não me tira o sono, nem me obriga a chorar lágrimas de sangue. Ainda assim, estamos a falar de muitas visitas, de muitos comentários, de muita interacção com o mundo, e muitas das vezes com pessoas que nem sequer conheço. Será este o mundo encantado dos blogues? A magia dos blogues? 

Também sei - e reconheço, que já tive mais piada - mas lá diz o povo: que mais vale cair em graça do que ser engraçado - e que não faltam por aí são blogues de humor. Mas este não é um blogue humorístico, até porque a parvoíce faz parte do ADN e a mania de ser engraçado é defeito do autor. Este é apenas o meu blogue. Está entre um filho e um livro, sendo que só me falta mesmo plantar uma árvore para me sentir realizado e de seguida já posso "bater a bota"destino, vida, fado ou quem quer que sejas, sobre este último ponto tem atenção que hoje não me dá jeito porque tenho uma reunião de manhã cedo, ok?. 


Bom e agora vou dormir feliz, porque já tenho dados móveis no telemóvel. 

Até amanhã. 

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

príncipes

Não desesperem. Há uma explicação lógica.

Créditos: Não sei quem escreveu esta pérola, mas que está boa, está


Dúvida existencial: é o ovo que também vem a cavalo, né?

"comprinhas"

A "passoa" que me ensinou ir ao site da Mango Outlet, devia de levar um tiro por causa da quantidade de roupa e calçado que já comprei. Só hoje foi mais uma camisola. 

Essa "passoa" que eu não vou identificar, e que não vou dizer que reside no Algarve, e que tem olhos azuis, entrou para a minha lista negra. Quando Os Senhores do Fraque vierem ter comigo, já sei para onde os encaminhar.

ironias

A quantidade de amigos cabeleireiros que tenho no Facebook, mostra que a vida é muito irónica comigo.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

condução

Há umas semanas atrás, ia a caminho do trabalho B-E-M D-E-V-A-G-A-R (sim, aquela multa na CRIL por excesso de velocidade, onde alegadamente dizem que ia a 120 km/h, numa via cujo limite é 80 km/h, foi fabricada cof cof cof, porque toda a gente sabe que conduzo bem devagaaaaar cof cof cof) porque já ia atrasado. Pronto, não ia devagar, mas também não ia depressa. Ia normal, vá. Adiante. 

Recomeçando: ia a caminho do trabalho quando uma senhora, a sair do ramal da autoestrada, resolveu pôr-se à minha frente. Quer dizer, a madame sabendo que eu já estava atrasado - e que odeio conduzir devagar - resolveu ir em modo de velocidade de contemplação dos "cagalhões dos cães'zinhos no passeio". Para meu azar, durante o percurso que fiz não consegui arranjar modo de a ultrapassar, pelo que tive que ir atrás da dita até estacionar o carro. Pois, eu sei que ela estava a fazer de propósito, porque as pessoas nasceram só para me irritar. 

Também pelo caminho, e furioso que estava, ia dizendo asneiras e gesticulando no interior da viatura, onde mesmo não sabendo língua gestual portuguesa, conseguia transmitir a ideia "sai-me da frente pão com azeitonas do Aldi" ou "para a próxima deixa o carro em casa e vem a pé, se é para andar a essa velocidade" - para quem não sabe a parte do "a pé" faz-se com os dedos indicador e médio. A diante.

Ia tão revoltado que a madame percebeu o meu desespero e as minhas "asneiradas" - não que ela soubesse ler lábios à distância, mas sim porque os meus gestos eram inequívocos. Ainda assim, ela parecia que fazia de propósito e andava cada vez mais devagar - ou então era impressão minha - sendo que só a consegui ultrapassar quando a P-*-T-@ me roubou o lugar de estacionamento em frente à porta do prédio e ai, ainda mais furioso, abrandei a marcha para a mandar passear ao interior das grutas de Mira de Aire

Quando já vou quase, quase, a abrir a boca e o vidro, para lhe mandar uma "escarreta" verbal, vejo que é a minha colega da sala do lado, e começo a viver slow motion que nunca mais acabava, parecendo aquelas pessoas que vão ao televisão fazer denúncias e como não querem ser identificadas, têm uma voz distorcida.

 Depois de ter percebido a gaffe monumental que tinha cometido, fui estacionar o carro o mais longeeeeeee possível, para não ter que ir com ela no elevador. Mas como tenho sempre sorte na vida, tive que que acompanhar na subida, onde apenas disse "Bom dia Maria" baixinho e onde fui a contar os quadrados da camisa, numa viagem interminável de 6 pisos.

Depois de uma situação semelhante com a minha mãe (não me apercebi que era ela que ia à minha frente no seu Cintroën C2) já devia ter aprendido a lição.

grupos

Pessoas, se há coisa que me irrita S-O-L-E-N-E-M-E-N-T-E é adicionaram-me em grupos de Facebook sem eu pedir ou sem falarem comigo primeiro. Se já me adicionaram num grupo que marcava orgias num determinado dia da semana (e que já saltei), agora estou inserido nos Reis do Sexo Masculino. Tipo, dá para parar? É que aparecem notificações de não sei o quê e eu fico baralhado. É que, além de já ter uma certa idade, também já fui mais inteligente. 

Obrigado pela compreensão. 

fala português?

Amigos bloguistas brasileiros, as legendas são mesmo necessárias?

Espero que não digam coisas como o jurado francês afirmou... tipo: "está há 5 anos no Brasil e não fala português?" 

Bem sei que vocês não têm a vantagem que nós temos sobre vós - vemos novelas brasileiras desde pequenos e estamos habituados ao "sotaque" e ao "calão" - mas também não é preciso exagerar, né? 

Quer dizer, um português que fala português ser gozado por um francês que mal arranha... o português... é de morte. Que virá a seguir? Uma jurada argentina dizer que Portugal é uma província de Espanha? 


Haja paciência.


vícios

Estou V-I-C-I-A-D-O em ter Internet no telemóvel ("celulá" para os nossos amigos brasileiros) e faz 15 dias que não acedo a nenhuma aplicação ou site através do telemóvel, a não ser através de algum wifi caridoso. Já tenho tudo mapeado aqui na zona, e sei que o café da esquina tem, mas está bloqueado, sei que há no shopping, na rua por trás do banco e pouco mais. 

Conto os dias para o início do mês como se precisasse de uma cura milagrosa e interiorizo "só mais um dia, só mais um dia". Pareço as velhotas, que às 15h estão a salivar à porta do Casino de Lisboa, à espera que este abra, para depois irem a correr - esquecendo os andarilhos pelo caminho - até à slot machine de ontem, onde estavam quase a ganhar, mas não ganharam. 

Quando me perguntam, "mas 2 gigas não te chegam?" respondo com um "se chegasse, não dava neste desespero". A sério. Pareço um agarrado. Vejo-me a estudar planos para adquirir dados móveis através de outras operadoras e juro, juro mesmo, se vendessem internet na esquina, eu ia lá comprar. Pronto, só não tinha muito mau aspecto porque tomei banho e uso perfume, e hoje até venho com a barba arranjada, mas tirando isso poderia perfeitamente encarnar um tipo duvidoso. 

Mas pronto, já só faltam umas horas para voltar a ser gente novamente. Já poderei sossegar o miocárdio e sorrir novamente. Já ficarei por dentro das notícias todas e de todos os sites. Já conseguirei usar o imessage e o whatsApp. O Facebook e o Instagram. Sim, está quase. Mentaliza-te rapaz. Vou conseguir. Ou isso, ou tenho que me enfiar num qualquer grupo de auto-ajuda.      



E o que rima com V-I-C-I-A-D-O? 
Isso mesmo.

cabelo

Ao almoço: 

Colega 1 para a minha pessoa: Parece que tens mais cabelo. Tens mais cabelo? 

Colega 2 para Colega 1: E agora ele manda-te à merda em 3,2,1. 

Eu: Não… apenas está mais comprido do que o habitual. 



E não. Não a mandei à merda porque não percebi logo o que me tinha dito.

blogues

A minha linha de pensamento, também vai por aqui: 

"E depois há o outro lado, a perda da privacidade, o ser conhecida na rua, o ter de aturar os haters (e isso pode intimidar muito boa gente), o toda a gente saber de coisas íntimas como o casamento, o cão, o filho, a separação. Eu nunca seria capaz de abdicar desta redoma que me protege dessa exposição. E isso só me faz admirar ainda mais a AGM. Volto a frisar, não conheço a Ana Garcia Martins de lado nenhum, a minha opinião não poderia ser mais isenta. Aliás, dificilmente poderíamos ser mais diferentes."

Créditos: Antiblogue

parvoíces no trabalho

Estado tudo muito concentrado quando tive uma dúvida existencial: 

- Olhem lá, estava aqui a pensar: se a Ana Malhoa deu o nome Índia à filha, quer dizer que se tivesse um miúdo seria cowboy, certo?

- É pah, mas tu não te cansas de ter ideias de merda?



Pronto. E é isto.