segunda-feira, 6 de julho de 2015

evolução

E o blogue evoluí: 

www.namorocomumpopstar.com



Mas com erros. Amanhã trato disso. É o que dá querer ser artista (lololol).

relacionamentos

 Na semana passada, estávamos a conversar à porta do trabalho, quando um colega nosso nos disse, que o motivo para o mau humor de uma colega nossa, é que tinha sido traída pelo marido há coisa de 5 anos atrás e que nunca tinha recuperado do assunto, porque "apesar de ter perdoado, não esqueceu". Outra colega (também ela casada), atirou logo de imediato com um "se perdoou e continuou o casamento, deixou de ter motivo para dizer o que quer que seja". 

 Bom, não acho que seja necessariamente assim. Não somos máquinas. Há assuntos que não dá para desligar e considero, efectivamente, que uma pessoa pode perdoar, mas não consegue mesmo esquecer. Não é porque não queira, é mesmo porque somos e vivemos de sentimentos. E todos os dias é um novo dia, um novo processo de aceitação e um trabalho sentimental, que permite que os relacionamentos resistam, avancem e consolidem.

domingo, 5 de julho de 2015

conga - comemoração dos 4 anos - aditamento

10. Horatius: Não encontrei o meu colega bicha (felizmente!). #eaindabem 

conga - comemoração dos 4 anos

 Ontem fui "congar" - para os amigos brasileiros, eu digo "congar" na brincadeira, porque efectivamente fui dançar, não a uma discoteca ou bar, embora tenha sido efectivamente numa discoteca. O evento é organizado por um grupo intitulado "Conga Club" que organiza uma festa, uma vez por mês, em Lisboa (corrijam-me, se estiver enganado). Desta vez, ocorreu no LX Factory - aliás, é a segunda neste local que eu vou). 

Interior - Piso Superior
Fonte: Namorado

 Fui com dois amigos meus, a que se juntou outro amigo de um dos amigos (fomos 4 portanto - momento Cavaco Silva do post). Entrámos cedo (01h00m) e apanhámos o espaço ainda meio vazio. A música estava ligeiramente chata (ou serei eu que já estou velho e cansado?), mas ainda assim dançável. Sobre a noite em si, faço o seguinte resumo: 

1. Custo: a entrada são 10€ com direito a uma bebida. Também nos carimbam a pele, sendo que nem sequer me lembrei disso e estive hoje no almoço de família com uma "conga" impressa no pulso - mas ninguém fez perguntas a respeito. Sim, tomei banho sim, ok? Mas a tinta era forte. Devia-me ter esfregado com mais força. #valeapena

2. Ambiente: é giro. É menos pesado que no Trumps ou Construction, também porque o espaço ajuda (alerto, que não é sempre no mesmo sítio). No LX Factory, o local tem janelas para a rua, abertas, vê-se a ponte 25 de Abril por baixo e desenvolve-se em dois pisos. O de baixo com uma música mais electrónica e no superior mais comercial. É um espaço simpático. #éistoquefaltaemlisboa

Interior - Piso Superior
Fonte: Namorado

3. Engate: mais uma vez demonstro aqui, que os locais de diversão nocturna não são um bicho papão. Ou seja, só acontecem coisas, se quisermos que aconteçam coisas. Ninguém se meteu comigo, nem a bem, nem a mal (pronto, ser feio e enfezado também deve ajudar lololol), pelo que também, quando sentia que existia uma tentativa de "ligar" através do olhar, eu apenas sorria e fixava a vista noutra coisa. Mas lá está, se quisermos, pode acontecer sermos engatados, mas se estivermos na boa, a dançar, saímos da mesma forma que entrámos. #ninguémsabeengatarhojeemdia 

4. Fumo: se isto fosse como em Espanha ninguém fumava lá dentro. Nem no piso de cima, nem no de baixo. Ontem, o rés-do-chão era para fumadores. Estive lá algum tempo porque os meus amigos gostavam mais daquele tipo de música - e eu não iria dançar sozinho no piso superior (certo?), sendo que o tempo que estive, foi o bastante para ter ficado com os olhos vermelhos, inflamados e com a roupa a cheirar a tabaco. Eu não fumo, mas percebo e entendo quem fuma, mas era preferível exercerem o vício só na rua. #odeioficaracheiraracigarro

5. Putos: um conselho de borla. Bem sei que existem fases na nossa vida, que tudo nos parece errado, que achamos que nunca iremos encontrar ninguém para partilhar o destino e que se calhar fomos fadados apenas para a queca, mas mesmo que fosse isso, há uma coisa que é universal, transversal e indiscutivelmente verdade: OS HOMENS NÃO GOSTAM DE HOMENS CHATOS. #facto

6. Fumadores: gente, fumar e dançar ao mesmo tempo é perigoso. Fumar, dançar e fazer malabarismos para mostrar que é um grande dançarino, mais perigoso é. E ter respeito pelos outros é sinónimo de educação. Para a próxima levo um charuto para vos dar na cabeça - se calhar era isto que pretendiam, sei lá. #gentecroma

7. Homens: os homens que se vêem por lá são diferentes daqueles que vejo no Trumps. São um bocadinho mais velhos e apresentam caras que nunca vi em lado nenhum. Portanto, acabam por ser todos novidade. Ontem porém, parecia que estava num festa gay do estado islâmico (se esta houvesse, obviamente) com tanta barba por metro quadrado. #gostodebarbasmasnãocomdoismetrosdecomprimento

8. Resistência: Não aguentei muito tempo. Não sei, ontem não estava com muita disposição. Sai às 3h15m. #velhice

9. Sinais: quando saí, ao percorrer o LX Factory até à saída, descobri 2 "Adães": 

Fonte: Namorado

reis e gays

Eu, se fosse Rei (porque gay é indiscutível), seria Namorado I, o Parvo.

domingos

Diz que o tempo hoje está "fusco". 

Fonte: daqui.

reis e gays

 Há quem diga que o Rei D. Sebastião, D. Pedro I e D. Afonso VI eram gays. Afinal, afinal, os gays não são todos "princesas".

almoço de família

Ao almoço de família:

Mano: Estás gordo, ias partindo a cadeira.

Mãe: Não digas isso! Ele é maluco. Não comeces com essas parvoíces com o teu irmão, que ele vai já começar a fazer dietas. 


Ainda bem que a minha mãe me tem em boa conta (LOL). 

conga

Yeap. Ontem fui "congar"

sábado, 4 de julho de 2015

porto

Fonte: Facebook do Semanário Sol


 Vá, digam lá quem foi que parou o trânsito ontem. Foste tu Goody? Ou a Só Eu? Sam, tens alguma coisa a dizer? Alguém?

Nota das 15h17m: não estou a chamar objecto a ninguém, ok? lol

a tia

 O pai tem uma irmã. A tia. A tia que descobriu agora o facebook. E a tia manda convite de amizade no facebook. O sobrinho aceita. A tia é viúva. A tia tem uma foto de perfil. A tia tem comentários na foto de perfil. A tia tem um comentário na foto de perfil, de um senhor, que diz o seguinte: "Muito Jeitosa. Servia para mim e eu era feliz. Acabava com a minha solidão. Beijos". 

 Nunca pensei ver um dia, engates da minha tia. Ainda irei comentar o assunto com o meu pai. 

abs's

 É pah, eu juro. Juro mesmo. Quando me levantei tinha abs's, mas agora depois do almoço não sei para onde é que eles foram. É o que dá um fim-de-semana sem dieta.

namoro com um pop star

 Não podemos exigir aos outros aquilo que não exigimos de nós próprios e se queremos respeito, temos que respeitar os outros. "Blá blá blá". Embora reconheça, que possam pensar, que a primeira parte deste texto se reporta a frases feitas com o intuito de querer mostrar, que eventualmente serei uma boa pessoa, a verdade, é que são duas das minhas máximas que tento cumprir diariamente.

 A minha aventura "blogística" começou há mais de 12 anos. Sempre disse que tinha tido outro blogue antes deste, mas em bom rigor, tive dois. E foi em 2003 que apareceu o primeiro, ligado a temas lgbt onde um rapaz (eu) usava a escrita como desabafo sobre a descoberta da sua sexualidade. Foi um projecto que durou pouco tempo, porque cometi o erro de o divulgar pelos meus amigos gays e uma coisa que pretendia, tornar-se no registo de uma caminhada, começou a ficar muito redutora porque me diziam muitas vezes, não devia de falar nisto ou não devia de falar naquilo. Em 2007 - mais propriamente a 09 de Setembro - nasceu aquele que viria a ser a minha relação mais duradoura até 2010. Foi onde conheci o Limite e o Pedro. Embora ao Pedro o tivesse transportado para a minha vida real, o Limite acabou por ficar ainda na minha vida blogosférica, embora nos últimos tempos a coisa tenha evoluído. A 18 de Dezembro de 2010 o meu blogue acabou por ficar privado. Porquê? Porque novamente mostrei aos meus amigos o meu espaço, e passados uns tempos pediram-me para ter cuidado com o que escrevia. Ora, e o que acontece quando temos que usar panos quentes num blogue? Ele acaba por morrer.

 Enquanto que no meu primeiro blogue, utilizava uma escrita criativa sem ter uma linha editorial muito definida, no segundo apostei nas rubricas e no cuidado com o português - o que me valeu uma menção no Jornal da Madeira. Neste Namoro com um Pop Star! quis apenas que me divertisse e que de alguma forma fosse o meu registo de vida - gay, leia-se. Apareceu numa fase da minha vida onde pensei que a tinha a prazo e que o destino não estava a ser justo comigo. Tinha ainda tanto para fazer, tantos locais para visitar, tanta gente para amar e não queria que tudo se resumisse a um simples "adeus". E foi neste ano que várias pessoas me inspiraram e me mostraram que tenho mais força que alguma vez pensei ter. E além de querer um blogue parvo, solto, divertido e livre de preconceitos, quis um blogue inspirador. Quis ajudar e retribuir um pouco do que me deram quando precisei. 

 Não tenho este blogue porque quero ser famoso. Não preciso disso. Não quero isso. Comento outros blogues porque quero e porque me dão prazer. Não vejo isso como um "eu comento, também tens que me comentar" e nem procuro que as pessoas me vejam como referência. Apenas gosto de partilhar o que penso, de uma forma mais ou menos ligeira, sendo que não me vejo a competir com ninguém pelo título de Miss Blogue Gay. Se há pessoas que sentem isto como um campeonato, que o sintam, mas isso não é de todo o meu caminho. Se ao invés de um blogue deveria ter um facebook, um twitter ou outra coisa qualquer... bom, é a opinião de quem a emite. Eu tenho a minha e sendo este um blogue pessoal, deve reflectir aquilo que sou, aquilo que penso, que sinto e quero. E nem sequer vou entrar em guerras de rakings para saber quem tem blogues há mais tempo. Podem contar comigo para divulgações, para concursos, para ideias, para trabalhar, para comentários, para projectos, para ajudar quem quer que seja, mas não contem comigo para guerras. A vida é demasiado curta para isso.

Bom sábado!

coerência(s)

Ai a coerência, a coerência... é uma coisa fodida.

instagram

É pah, hoje ainda não fui ao Instagram do João. Vamos lá corrigir isso.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

chatos

Não. Não vou nada para o Pride. Larguem-me da mão. Dass. Chatos.

adjectivos

Pois claro. Agora sou bruto.

#elogoeuquesouumfofo,masnãodebelas

sete e ponto final

 Acho que precisamos de pessoas motivadoras. De comportamentos de esperança e acima de tudo de modelos (ou como dizem os ingleses: one "role model"). Terça-feira divulgo quem desafiei para me responder a 7 perguntas. Estejam atentos! Digo-vos apenas, para já, que fala português mas não é português. 

não sou gay


Conheço uns quantos.

matthew dempsey


 Não me chocam as fotos em tronco nu, e não é por seguir modelos e afins, no Instagram, que isso me define no que quer que seja (mas confesso que me motiva para ir ao ginásio). E dar passwords da nossa conta de e-mail e facebook ao namorado... bom... parece-me muito século XV.