sábado, 21 de abril de 2018

signos

Na semana passada, num subúrbio perto de si: 

Colega: Tu és como o meu filho... Os gémeos sofrem imenso, estão sempre lá para ajudar toda a gente e quando precisam de alguma coisa, olham para o lado, e percebem que estão sozinhos.

Eu: Não sei bem se poderemos atribuir isso a um "signo"... 

Colega: Não, é verdade. Os nativos de gémeos são assim, super disponíveis para todos, sempre a querer ajudar e depois não sentem esse retorno.

Eu: Ah... 


Mas tu queres ver que a culpa é do cabrão do signo? Estou lixado.

engate

Hoje, como tenho imenso tempo livre (não tenho nada, apenas não me apetece fazer o que tenho para fazer) resolvi elaborar uma pequena lista com 5 dicas para "engate", assim em modo genérico. Ou seja, não é um medicamento de marca registada, mas o princípio activo está lá todo (ó meu Deus... esta frase era excelente para fazer tantos trocadilhos... mas vou sossegar a periquita). 

Vamos lá então isso (ou como dizem os meninos do wiwiblogs, "lètedothis"). 

Cintos apertados?

Já têm colocadas aquelas coisas amarelas, que caiem dos compartimentos secretos dos aviões, para nos dar oxigénio?

Sim?

Bora!

instagram

Mas não estava a chegar o Verão?

Mas o Luke Evans não vem à praia, à Costa da Caparica?

#jánãopercebonadadisto

Créditos: Instagram Luke Evans 


Para seguir aqui.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

queixinhas

Ah e tal, tenho um torcicolo. 

Ah e tal, não fiz nada escabroso para o ter. 

Ah e tal, eu sei, tenho uma vida muito triste.

“crushes instagramaticas”

Jovem, já tens mais de 18 anos? És viciado no Instagram? Tens “crushes instagramaticas” que te dêem sonhos molhados? Andas sempre à espreita, para ver se as fotografias publicadas mostram mais do que deviam, e quando não mostram, sonhas que mostram? Gostavas de ver alguém como veio ao mundo, mas não queres pedir nada? Ou dar nada em troca? 

É pah, se respondeste “sim” à maioria das perguntas do parágrafo anterior, agora existe um site onde talvez tenhas essa sorte. Vai até www.lpsg.com e pesquisa pelo nome da tua “personagem” favorita. Ah, e deixa o nome na caixa dos comentários para ver se coincide com alguma das minhas.

sms's

Após o meu corpo ter dado sinais de carência de qualquer coisa, de andar uma semana com uma cabeça com o triplo do peso que habitualmente tem e de acentuar ainda mais as minhas olheiras crónicas, tirei uma fotografia à minha cara super cansada, e enviei ao miúdo com a mensagem "estou super acabado, esta cena deixou-me de rastos". E ele, longe, respondeu-me: "não digas parvoíces, estás bem e tens um sorriso bonito. Adoro o teu sorriso".    

E pronto. Ganhei o dia. 

ocasionalidade

Descobri agora e já estou a ouvir sem parar. Acho que a ideia está muito original (falando da música e videoclip), mas mudava-lhe um pouco a letra para ficar ainda melhor (a parte "da net e do pc" não me convenceu). 

Bom, agora vou ouvir mais mais uma vez a musiquinha (ou duas, ou três, ou as vezes que quiser porque os ouvidos são meus) antes de ir comer o meu magnifico bife de peru com arroz thai jasmim. Hasta la pasta! 


#ficaadica 
#eucomamaniaquepercebodemusica

quarta-feira, 11 de abril de 2018

ar-condicionado

Só vim aqui reclamar do ar-condicionado do meu gabinete. Obrigado. Podem voltar a fazer o que estavam a fazer. 

#ésóparareclamardoarcondicionado #seocláudiopodetodospodemos #arparaocláudio


terça-feira, 10 de abril de 2018

instagram

Reparo agora que estou sempre a escrever sobre a mesma coisa... acho que estou obcecado como o Instagram funciona, ou então estou a ficar senil. 

Olha, ao menos a opinião é a mesma. 

opiniões

Colega do terceiro: Tu és mais uma "cat person" ou uma "dog person"

Eu: Nem uma coisa nem outra. Sou mais "voyeur".*


*Ou como se acaba uma conversa sobre animais domésticos.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

dúvidas

E só mais uma coisinha, antes que me dê um ataque de vez: 

Se eu sou mais Aladino que Frozen, porque raio é que tenho de continuar a levar com chuva e frio? Dass.  

"Vamos fazer bonecos de neve", o caral&%$!

influencers

Primeiro, vou respirar fundo porque os vários médicos disseram-me que não posso enervar sob pena de ter outro "episódio". Segundo, vou respirar mais uma vez just in case.

Vá, vamos lá àquilo que me atormenta. Eu ainda sou do tempo (sim, eu sei que é de um anúncio do século passado) que não havia Instagram, sendo que também sou do tempo em que o Instagram apareceu, sendo que ainda consigo fazer a proeza de ser do tempo, em que o Instagram ainda mexe. "No início era o verbo", e haviam poucos portugueses nesta rede social e era tudo cool. Conseguiam-se ter "conversas" decentes com estrangeiros, e gostávamos das fotografias porque eram mesmo boas (ou por outro motivo qualquer, mas sempre genuíno), e não havia cá o frete do "segue-me" que "eu sigo-te também". E era por causa disto que eu preferia o Instagram ao Facebook

Entretanto, as coisas de lá para cá mudaram, e as pessoas agora acumulam seguidores, gostos, intercâmbios de divulgação de perfis, anúncios sobre as suas páginas no OnlyFans (onde estão semi-vestidos ou com a pilinha toda de fora, na esperança de obter um salário "disto" - ao invés de trabalhar como um "home" pah!) e fazem vídeos tipo "snapchateanos" onde tentam interagir com as pessoas. Bom, tentam. Porque permitem que as pessoas enviem mensagens, às quais nunca respondem, ao mesmo tempo que querem, que essas mesmas pessoas comprem as coisas que eles anunciam, ou utilizem os cupões de desconto com o seu nome para eles ganharem qualquer coisa, sendo que ainda querem que se subscreva planos de treino "muito em conta", e que se salve gatinhos com donativos. 

Mas uma dúvida assalta-me permanentemente. Ora, se há várias pessoas que mandam mensagem na esperança de interagir com "aquela figura pública do Instagram" (ou em inglês, "influencer") porque gosta, porque lhe acha piada, porque lhe dá tesão, porque tem um sentido de humor equivalente, ou por outra coisa qualquer, e se a abordagem é continuamente ignorada, expliquem-me d-e-v-a-g-a-r-i-n-h-o porque estou combalido (e como se fosse uma criança de 4 anos), porque r-a-i-o é que uma pessoa que é constantemente menosprezada, vai a correr comprar as coisas que se anunciam, ou usar um cupão manhoso qualquer, ou contratar algum personal trainer, ou ajudar a salvar aquele animalzinho fofinho que nem sabemos sequer que existe, se nunca, mas n-u-n-c-a, há feedback do outro lado? Devem ir devem. Vão, o c-a-r-a-l-h-i-n-h-o. Ou pelo menos não deviam. 

Ok, ok, já sei o que me vão dizer... "mas olha lá, existe pessoal que tem mais de 1000 mensagens por dia e não se consegue responder a todos". Pois, dá trabalho. Pois dá, eu sei que dá. Também já passei por isso. Mas a pessoa, ou aceita ao que vai, ou então está quieta. Ninguém é obrigado a aceitar mensagens ou comentários, ou até ter um perfil público. Mas se tem, e aceita receber contactos de terceiros, conhecidos ou desconhecidos, na minha modesta opinião, deveria de fazer um esforço para responder com um "obrigado", com um "olá", ou então com um qualquer smile ranhoso. Não responder, para mim, é s-ó falta de educação. Principalmente quando se utiliza o Instagram como uma plataforma de "negócio". Mas isto sou eu que tenho a mania e sou um bocadinho parvo. [aliás em linha com o que já tinha escrito aqui]


 Ah e tal, mas eu sou um "influencer"Olha, "influencer", o caralho.


E pronto, lá se foi a calma para as urtigas.