domingo, 24 de junho de 2018

passados

No início da semana, falei com um amigo que já não via faz meses. Na troca de acusações de quem tem mais culpa, por não se marcar nada ao vivo, surgiu a novidade que ele namora, que está muito bem e que aos fins-de-semana "vive junto" com o rapaz. 

Conversa puxa conversa, identifica-me o "não-sei-quantos", e eu faço uma pausa técnica. "Conheces??????" - pergunta-me tendo em conta a minha respiração mais controlada. E eu, respondo: "sim, lembro-me dele vagamente da "noite". E ele "ah ok". E a conversa seguiu. Como a marinha. 

E ainda bem que ele não me pediu para definir "noite". Não me estava a apetecer dizer: "Lumiar(Lisboa)", "dentro do carro" e "sem roupa"

arraial lisboa pride

Pelos vistos, a julgar pelas fotografias e vídeos que vejo no Instagram, devo ter sido o único que não compareceu no Arraial Lisboa Pride. Mas eu ando tão cansado... tipo, qualquer sítio onde me encosto, adormeço. Também já são 38 anos em cima deste corpinho frágil.

E por falar em frágil, lembrei-me de Jorge Palma


Isto hoje está bonito, está. 

acordar pela fresquinha

"Indo eu, indo eu, a caminho de Viseu, encontrei o meu amor, ai Jesus que lá vou eu".

Não, não vou para Viseu, mas acordei com esta música na cabeça e não sei como é que a vou tirar. Como foi uma coisa super cool que me aconteceu, resolvi voltar aqui ao blogue e partilhar com o mundo. Muito fixe, né?


Enfim. Eu devia era voltar a escrever aqui e deixar-me de merdas. Mas agora está tanto calor...


Bom domingo!