quarta-feira, 12 de abril de 2017

Campos de Concentração na Chechénia

A nossa vida nem sempre pode ser de risada e parvoíce. Por vezes temos que ser sérios, assertivos e activistas, porque ser "crescido" exige isso de nós. 

Já tinha lido alguns zunzuns no Facebook, mas achei melhor esperar antes de reagir. Com tantas notícias falsas que proliferam nas denominadas Redes Sociais, fiquei de pé atrás e nem queria acreditar. Como é que é possível que em 2017, num país junto de nós, homens, homossexuais, estejam a ser levados para Campos de Concentração e estejam a ser torturados com choques eléctricos (e de outras formas) com o objectivo de denunciar outros nas mesmas condições. Tipo, Hitler não vos diz nada? A mim diz. Muito. Não foram só judeus que morreram nos campos de concentração da Alemanha Nazi, também morreram muitos homossexuais, e outras pessoas que só porque incomodavam o regime. Pelos vistos, na Chechénia, alguém revolveu prolongar o legado "hitleriano" e criou campos de concentração "só" para homossexuais, onde tortura e mata. E esta notícia chocante não abre noticiários. Não é manchete nos jornais. Não indigna a maioria. Porquê? Porque são poucos? Porque estão longe? Porque são homossexuais?  São CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO porra! É um crime! É nojento!


A Amnistia Internacional lançou uma Petição sobre o assunto - que já assinei. É pouco, pois é. Mas é uma tentativa de acordar quem está adormecido. Dia 18 de Abril de 2017, haverá uma manifestação em Lisboa, junto à embaixada da Rússia. É pouco? Pois é. Mas temos que começar por algum lado, para despertar quem nos governa e dizer que não queremos viver num mundo assim. 


Petição da Amnistia Internacional aqui!

Notícias aqui e aqui.

2 comentários:

  1. Posso concluir com este teu post que a Esquerda mata mais Gays que a Extrema Direita em Portugal?! ;)

    ResponderEliminar

Podem comentar, que eu deixo. Vale tudo, menos ofender. Ok? E estar vivo é o contrário de estar morto - Lili Forever.