segunda-feira, 9 de abril de 2018

em abril águas mil

Esta coisa de esticar o cordel até ao limite pode dar mal resultado. Querer estar em todo o lado, fazer tudo e mais alguma coisa, meter-se em todos os projectos, dar-lhe forte e feio no ginásio, e ignorar os sinais que o corpo dá, deriva sempre em qualquer coisa menos positiva. E deu. Paralisia do lado direito do corpo e fala arrastada, "ofereceram" uma viagem na ambulância do INEM e uma breve estadia no hospital. AVC? Sem sinais.  Exames todos normais neste campo. Então o que foi? Qualquer coisa. Resultado? Paragem forçada do ginásio, trabalho a meio-gás, projectos parados, outros abandonados, muitos nervos, algum choro, muita irritação, noites mal dormidas, recuperação lenta, cabeça a leste do paraíso, muito apoio, preocupação e carinho dos amigos e colegas de trabalho, análises, mais exames, consultas de cardiologia, neurologia, e eventualmente psiquiatria.  Enfim. Tudo de bom. A verdade é que nem aos 38 anos cheguei ainda, e já estou neste triste estado. Bonito. Enfim. Talvez as más-línguas digam: "se não tivesses largado a blogosfera nada disto tinha acontecido". Se calhar essas más-línguas até têm alguma razão. 

10 comentários:

  1. Oh rapaz! As melhoras rápidas! E cuida-te!

    ResponderEliminar
  2. Desejo-te que recuperes. A blogosfera tem destas coisas: nem eu te conheço nem tu a mim, mas, acredita, é sincero este meu desejo.
    Um abraço
    P.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito, mas muito obrigado. Também tenho esse desejo. Muitos abraços <3

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Obrigado caríssimo Francisco.

      Um grande, grande abraço.

      Eliminar
  4. Eu sou uma boa língua e digo a mesma coisa, devias vir cá mais vezes oh :p
    As melhoras :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOOOL Isso da "boa língua" tem muito que se lhe diga Logan'zito :P

      Eliminar
  5. Epa, Namorado as melhoras! Saber ouvir os sinais do corpo e não querer apressar um processo de cura do mesmo são 2 etapas difíceis mas com tempo, atenção e paciência vai-se lá. É como dizes ... nestes momentos descobrimos gestos inesperados de carinho e de resiliência. Força .

    Um abraço apertado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Magg! Ainda espero estar por cá muitos mais anos a chatear a malta! Vamos ver no que dá :P

      Eliminar

Este blogue não é uma democracia e eu sou um ditador'zinho... pelo que não garanto que o comentário seja publicado. Mas quem não arrisca...